Artigos In Youth We Trust Players Analysis

Vinícius Popó: a joia celeste

100.000.000 €.

Esse é o valor da multa rescisória de Vinícius Santana da Silva (18), o Popó, cujo contrato com o Cruzeiro se estende até 2024 – caso nenhum clube endinheirado queira tirá-lo de lá antes do término de seu vínculo contratual.

Na realidade sabemos que não funciona bem assim, ou seja, na prática os clubes aumentam demasiadamente os valores dos contratos de suas estrelas e jovens promessas para “espantar” o interesse de outros clubes, ou por bem dizer, dos maiores clubes do mundo. Apesar disso, é difícil vermos no Brasil um jogador ser vendido via pagamento integral de sua cláusula contratual, a medida que o interesse de determinado clube sobre o jogador aumenta, o clube “vendedor” tende a aceitar valores menores que a multa desde que esses sejam entendidos como de bom tamanho para todas as partes.

A título de comparação, Lucas ex-São Paulo foi vendido ao PSG por 43 milhões de euros em 2012, valor que representava um pouco mais da metade de sua multa rescisória (80 milhões de euros). E engana-se quem acha que isso é “pouco”, assim que foi negociado Lucas se tornou a maior venda realizada por um clube brasileiro naquela época.

Num exemplo mais recente, temos Lucas Paquetá ex-Flamengo que foi vendido ao Milan por 35 milhões de euros em 2018, 15.000.000 €  a menos que o valor de sua multa.

Potencial para se tornar uma das maiores vendas da história do Cruzeiro, Vinícius demonstra ter, e assim como o alto valor de sua multa, é dono de marcas igualmente elevadas pela base celeste.

Já são 170 jogos pelo Cruzeiro (sendo 3 pelo profissional) e 127 (!) gols pela raposa – todos anotados pelas equipes de base do clube, além dos títulos do Campeonato Mineiro Sub-20 conquistado em 2018 e do Campeonato Mineiro de 2019.

Com uma média de 0,74 gols por jogo, tais números lhe credenciaram a ser chamado para a equipe sub-20 do Cruzeiro ainda aos 17 anos e, levando em conta que a instituição possui 4 categorias em sua base iniciando-se no sub-14 para o sub-15 e daí para o sub-17, Popó foi emancipado ao nível mais alto da base cruzeirense um ano antes desse processo ocorrer de forma natural, quando completaria a maioridade.

No site do clube, Vinícius aparece desde o final de fevereiro/19 como integrante da equipe principal vestindo a número 30 que fora de Thiago Neves (hoje com a 10) em 2018:

Vinícius Popó – Elenco Principal

A estreia do atacante celeste na equipe profissional ocorreu durante o Campeonato Mineiro desse ano, na vitória de 2×0 frente a Tombense quando o atleta atuou por 20 minutos. Os outros dois jogos (também pelo Mineiro) foram contra a Caldense (3×0) e o América-MG (3×2). Apesar das três vitórias, Vinícius não chegou a anotar nenhum gol e atuou durante 47 minutos somando todas as partidas.

As participações ainda tímidas são completamente normais, e como dito pelo próprio treinador cruzeirense, é necessário ter calma: “[…] A gente está tendo essa calma para ganhar um jogador, quem sabe a curto prazo, porque os jogadores que têm talento nos surpreendem e até queimam etapas.

Assim como seu ídolo Luis Fabiano ex-São Paulo, Popó tem características de um centroavante de área: sabe utilizar o corpo na hora do pivô, tem boa finalização e presença de área. Apesar disso, o jovem atacante também sabe fora da área e pelo lado do campo, de preferência o esquerdo onde atuou pelo Mineiro na sua estreia sob o comando de Mano Menezes.

Pivô para remate
Assistência pelo lado esquerdo do campo
Pivô e infiltração na área para remate
Gol com progressão desde o próprio campo

Também destacado pelo treineiro azul celeste, “(Vinícius) é um goleador, um jogador que tem esse faro do gol e agora nós estamos trabalhando com ele outras questões. Entre elas, as questões físicas, pois é um jogo de mais força. A expectativa é que ele tenha esse tempo de reação que tinha na base, no profissional.”

Assim como Fábio Júnior e Guilherme (os dois últimos atacantes que brilharam tanto na base quanto profissional), Popó tem um caminho e tanto pela frente para se consolidar como um jogador que possa trazer alegrias a sua torcida. Mano Menezes é o líder do time cuja produção ofensiva conta com apenas 9 gols marcados, atrás de times como Goiás, Chapecoense e Ceará.

Dada as opções no elenco e com exceção de Pedro Rocha (24) e Sassá (25) com 1 gol cada, o ataque cruzeirense composto por Fred (30), Raniel (23) e David (23) ainda não anotou nenhum gol pelo Brasileirão e Copa do Brasil. Certo de que existe uma carência nesse setor, a base celeste pode e deve ser opção para o elenco, seja em jogos contra os “pequenos” ou contra as melhores equipes da competição.

Mano e seu staff precisam de jogadores que produzam oportunidades para o ataque e, tem consigo uma peça que pode vir a ser a faltante para montar o quebra cabeças e começar a anotar gols. É arriscado e um tanto quanto perigoso colocar um garoto para comandar o ataque da “La Bestia”, o problema é que a medida que as partidas rolam, seus jogadores não marcam e as oportunidades para jogadores como Vinícius não aparecem, o time como um todo acaba perdendo – seja de forma literal através das derrotas ou a chance de ver nascer uma nova “joia”.

Ajude-nos a crescer

Essa é uma forma de nos ajudar a melhorar. Faça uma pequena contribuição para que possamos fazer mais análises, textos e melhorar cada vez mais a quantidade (e qualidade) dos jogadores indicados.

R$5,00

O Cruzeiro carece de gols e Vinícius parece ter o remédio para esse mal. É necessário, portanto, que o jogador não seja “queimado” em oportunidades futuras que podem vir a surgir, desde o trabalho feito pela comissão técnica quanto dentro de campo em partidas a valer.

O garoto entregou o que pediram (e muito mais) enquanto nas divisões de base, é preciso que a sua firmação no elenco e nas partidas sejam acompanhadas de muito cuidado e atenção para que ele repita os passos dos mais experientes.

E depois disso? É só correr para o abraço.

Comente aqui se você acha que Vinícius Popó tem o que é preciso para iniciar os próximos jogos como titular do ataque cruzeirense.

2 comentários em “Vinícius Popó: a joia celeste

  1. Belo artigo! O problema é que o retranqueiro Menezes não gosta muito de atacar, e menos ainda de utilizar as jóias da base. Prefere colocar um time velho e preguiçoso para jogar. Não foi a toa que o Brazão aceitou de bom grado sua ida muito cedo para o velho continente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: