Artigos Scout PFTF

Scout PFTF – Matías Viña

Nome: Matías Nicolás Viña Susperreguy

Idade: 22 (09/11/1997)

Altura e Peso: 1,76m e 70kg

Melhor pé: Esquerdo

Naturalidade: Empalme Olmos, Canelones (Uruguai)

Nacionalidade: Uruguaia

Posição: Zagueiro / Lateral esquerdo

Clube atual:  Club Nacional de Football

Foto via Nicolás Mernies

Nascido e criado em Espalme Olmos, uma pequena vila localizada no distrito de Canelones, no Uruguai, Matías Viña iniciou a sua trajetória em um clube pouco conhecido para quem é de fora do país charrua, mas que serve como uma iniciação no esporte para muitos jovens da região. O Ferrocarrilero é um clube municipal que disputa atualmente a Liga Regional do Leste de Pando, e foi no campo abaixo que o lateral esquerdo desfilava toda a sua habilidade antes de ingressar ao Nacional aos 17 anos de idade, no ano de 2015.

Campo do Ferrocarrilero – Reprodução/Facebook

Ao se transferir para o gigante de Montevidéu, cuja sede fica a aproximadamente 40 km de distância de Espalme Olmos, o que representa uma pequena viagem de 50 minutos via automóvel, ou de uma hora e vinte minutos via metrô. Viña começou disputando a Quarta Divisão nacional, entretanto, começou a jogar apenas no segundo semestre de 2017, visto que ele havia fraturado a clavícula e não pôde atuar pelos primeiros 06 meses. Um ano mais tarde, Matías passou a treinar com a equipe principal do Nacional, porém, jogava mesmo era pela Terceira Divisão, onde foi o 10º jogador a disputar mais jogos (8) pelo clube nessa competição.

A trajetória meteórica de Matías juntamente do seu enorme potencial o levaram para a Seleção Sub-20 do Uruguai antes mesmo de sequer ter estreado pela Primera División do país. Não bastasse a convocação, Viña foi titular em oito das nove partidas disputadas pela seleção que se sagrou campeã do Sul-Americano Sub-20 em 2017, em cima da boa Seleção Equatoriana Sub-20. Apesar de ter atuado como zagueiro pela esquerda em 7 dos 8 jogos, o polivalente jogador marcou um gol e concedeu uma assistência contra o Brasil e o Perú, respectivamente. Outros nomes que integraram às seleções presentes no torneio internacional: Lautaro Martínez (ARG), Juan Foyth (ARG), Bryan Cabezas (EQU), Nicolás De La Cruz (URU), Rodrigo Bentancur (URU), Yeferson Soteldo (VEN), Gabriel Suazo (CHI), Richarlison (BRA) e Lucas Paquetá (BRA).

Dois meses após vencer o título sul-americano, Matías fez a sua estreia pelo Nacional diante de uma derrota para o Boston River, da Primeira Divisão Uruguaia, onde foi titular durante os 95′ de jogo e atuou como lateral esquerdo – dando indícios de como poderia ser utilizado em campo a partir desse jogo.

Em maio de 2017, um mês após a sua estreia pelo clube de Montevidéu, o jovem defensor foi novamente convocado para a Seleção do Uruguai (Sub-20), dessa vez, para a disputa da Copa do Mundo da modalidade.

Viña participou de 4 jogos (em 7), somando 215 minutos nos gramados Coreanos, e variou o seu posicionamento em campo em basicamente duas posições: zagueiro e ponta esquerda. Diferentemente do Sul-Americano ocorrido naquele mesmo ano, os Uruguaios conseguiram “apenas” um quarto lugar no mundial, após perderem para a Itália nos pênaltis depois de um 0x0 no tempo regulamentar. Nomes importantes presentes nessa competição: Dominic Solanke (ENG, Bola de Ouro), Federivo Valverde (URU, Bola de Prata), Yangel Herrera (VEN, Bola de Bronze), Riccardo Orsolini (ITA, Chuteira de Ouro), Josh Sargent (EUA, Chuteira de Prata), Jean-Kévin Augustin (FRA, Chuteira de Bronze) e outros.

Apesar dos sucessos pela seleção uruguaia, o Player For The Future não obteve um início brilhante jogando pelo Nacional entre os anos de 2017 e 2018, onde participou de apenas 5 jogos ao longo desses 24 meses. Sendo 4 partidas em 2017 e 1 em 2018, não marcando nem assistindo a nenhum gol.

Análise

Com a saída de Luís Alfonso ‘Pacha’ Espino para o Cádiz, da Espanha, ao fim do ano de 2018, Matías Viña teve chances reais na primeira equipe do Nacional, e pelo visto, só sairá de lá após uma boa negociação para ambos os lados, visto que o lateral é hoje um dos jogadores mais importantes e influentes em campo no elenco Tricolor.

A sua influência em campo e o seu ano de 2019 tem sido tão bom que o jovem lateral realizou a sua estreia pela Celeste no dia 06 de setembro de 2019. Foi diante da Seleção da Costa Rica que Matías completou os primeiros (12) minutos pela seleção principal de seu país. Depois dessa partida, o polivalente defensor participou de mais 3 amistosos, contra o EUA e Peru (2x), além de conceder a sua primeira assistência para gol:

Viña (21) assiste a Darwin Núñez (20) em seu 4º jogo pela Celeste

[…] Mas, me sinto muito mais um lateral pela ida e volta que tenho (em campo).

Entrevista de Matías Viña ao site El Observador em junho desse ano

Viña se destaca por ser um lateral de bastante ímpeto e chegada à frente, conforme dito pelo próprio, tem muita energia e fôlego para ir e voltar demasiadamente, além de ser um lateral com ótima recuperação defensiva, que mesmo não sendo alto, é um ótimo cabeceador devido a sua impulsão.

Abaixo, algumas estatísticas que corroboram a sua qualidade tanto nas fases ofensivas, construtivas e defensivas:

Estatísticas ligadas às fases ofensivas – Wyscout
Estatísticas ligadas às fases construtivas – Wyscout
Estatísticas ligadas às fases defensivas – Wyscout

Tal como apresentado, Matías lidera ou faz parte do top-3 de várias dessas estatísticas, independente da fase do jogo, e o que mais chama a atenção é o quanto ele é dominante no jogo do Nacional mesmo sendo um jogador que atua na primeira linha de defesa do time – nesse caso, na mais recuada -, ou seja, como lateral esquerdo.

Um defensor com boa capacidade de drible, que se projeta à frente sempre que possível e que avança até a área adversária para acumular superioridade numérica e posicional, pronto para finalizar ou gerar um passe-chave à seus companheiros, esse é Matías Viña.

O lateral já coleciona 4 gols e 4 assistências na Primera Uruguaia, além de 2 passes para gols pela Libertadores e 1 assistência pela Seleção do Uruguai em 2019.

Conclusão

Viña teve o seu contrato renovado dia 25 de maio de 2019, muito por causa de um forte interesse por parte do Atlético de Madrid nesse mesmo ano. Apesar da contratação de Renan Lodi, um dos melhores laterais esquerdos brasileiros da atualidade, o Atleti continua a estudar a aquisição do jovem uruguaio ao elenco colchonero, e em setembro/19, o jornal espanhol AS apresentou uma matéria onde dizia que o Atlético teria feito uma oferta no valor de 5 milhões de euros, algo em torno de R$ 22.900.000 na cotação da época (23 de setembro).

Athletico-PR

Times que privilegiam os laterais/alas em campo são àqueles nos quais Matías teria uma melhor projeção tanto em seu futebol quanto o do próprio time. O time treinado por Tiago Nunes utiliza e muito de seus laterais, desde a construção ofensiva quanto às chegadas à frente. Entretanto, a fase ofensiva do campo, ou melhor, nas zonas próximas ao gol, os jogadores que mais se infiltram na área adversária são os meias, pontas e atacantes do time rubro-negro, algo um tanto quanto diferente do que Viña faz e vem fazendo pelo Tricolor, no Uruguai.

Apesar disso, o trabalho em amplitude, as triangulações e o cuidado com a faixa exterior do campo continuariam a ser motivos de bastante trabalho a ser feito pelo jogador, que viria para um futebol mais forte fisicamente e melhor em relação ao praticado em seu país natal. Pensando no lado do clube, seria um acréscimo e tanto, jovem – como gosta o seu treinador -, com muita exuberância física e potencial técnico, sem contar que desde a saída de Renan Lodi – citado anteriormente -, o Athletico ainda não se encontrou pelo lado esquerdo da defesa.

Flamengo

O timaço treinado por Jorge Jesus é outro que não só utiliza de seus laterais para (principalmente) construir, mas também para apoiar o móvel meio-de-campo e ataque rubro-negro carioca.

Diferentemente do Athletico, o time do Flamengo tende a trazer o lateral para uma faixa mais central do campo quando o seu time está atacando e a bola está do outro lado do gramado, enquanto os jogadores de frente se aglomeram perto da bola em busca de trabalhar na construção da jogada e dar sequência (ou início) a um ataque. Entretanto, os alas flamenguistas devem ser bastante móveis e concisos taticamente para ocupar o campo ofensivo de jogo quando possível e também para se reorganizar mais atrás.

Apesar do seu valor de mercado girar em torno de 200.000 euros, o Nacional deixou claro ao time espanhol que será preciso uma transferência acima dos 5 milhões de euros para retirar o atleta do clube, por isso, nem todos os times brasileiros possuem capacidade financeira para realizar tal transação.

O seu time também precisa de um lateral esquerdo? Se sim, você acredita que Matías seria o cara ideal para ocupar esse posto? Comente aqui o que você achou do atleta e o que espera para o seu futuro.

*Foto via Diego A. Martínez/Decano.

0 comentário em “Scout PFTF – Matías Viña

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: