Artigos Home & News Scouting Reports

Golden Boy 2019 – Conheça um pouco sobre a história de João Félix, o vencedor da premiação desse ano

Golden Boy é uma premiação anual que ocorre há 16 anos, cujo objetivo é indicar e premiar os melhores atletas sub-21 que atuam em solo europeu. A premiação é feita pelo jornal italiano Tuttosport, e apenas um dos 40 jovens inicialmente indicados leva para casa o troféu que já teve Lionel Messi (2005), Paul Pogba (2013), Kylian Mbappé (2017), Matthijs de Ligt (2018) e agora, o nominado Golden Boy de 2019: João Félix.

João Félix é o segundo português a conseguir tal feito, o primeiro havia sido Renato Sanches (2016), campeao da Eurocopa e eleito o melhor jovem da competição, ano em que atuou tanto pelo Benfica-POR quanto pelo Bayern de Munique. Curiosamente, Cristiano Ronaldo compatriota de ambos os atletas vencedores do prêmio nunca foi premiado com tal honraria.

Seu pai era preparador físico do Tondela, time modesto de Portugal, e aos 4 anos já tinha o filho como companheiro de campo, onde o levava para os treinos e jogos do clube. Um ano mais tarde, ele teve em seu pai outra figura, a de treinador de uma escola de futebol chamada “Os Pestinhas”, e foi por lá que o hoje vencedor do prêmio Golden Boy começou a atuar.

Após se destacar no sub-10 da escolinha, foi convidado para realizar testes nos três maiores de seu país: FC Porto, Benfica e Sporting. Chegou a visitar o Porto em 3 oportunidades, o Benfica e 2 e nenhuma ao Sporting, pois estava doente no dia de testes dos Leões.

Apesar de ter surgido para o mundo do futebol no Benfica, maior rival dos Dragões, João Félix integrou as categorias de base do Porto durante 6 anos em sua ainda curta carreira como futebolista. Ele nasceu no dia 10/11/1999 em Viseu, cidade situada a aproximadamente 130 km de Porto. E mesmo com toda essa distância, era necessário se deslocar de 3 a 4 vezes por semana para jogar pelos Azuis e Brancos, tamanho o seu desejo e sacrifício de se tornar um jogador profissional.

Após um bom início nos juvenis do Porto, o garoto de Viseu não estava a atuar com o tempo de jogo que gostaria, muito pelo fator físico, era muito franzino, e foi emprestado para o Padroense, que é uma espécie de clube-satélite dos Dragões. Apesar de seu físico ser um contraponto ao futebol portista, que primava pelo contato (físico), o clube queria continuar com o atleta, mas, aos 15 anos ele se mudou para Lisboa, para jogar pelo Benfica.

Desde 2015 nos Encarnados, João disse que por lá “voltou a encontrar a alegria de jogar”, em entrevista ao site The Players Tribune. Assim que chegou, foi o jogador mais jovem a estrear pelo Benfica B, com 16 anos e 10 meses. 2 meses após a sua estreia, se tornou o jogador mais jovem a anotar um gol pela Segunda Divisão Portuguesa, que logo o levaram a ser chamado às Seleções Portuguesas Sub-18 e Sub-21.

Duas temporadas antes de integrar a equipe principal do Benfica, em 2016/17, João dividiu seu tempo de jogo entre as equipes B e sub-19 do clube, onde participou de 13 jogos e anotou 3 gols pela B e 26 partidas e 15 gols pelo sub-19, sendo um dos maiores responsáveis, com 5 gols em 9 jogos, por levar o time de base à final da UEFA Youth League daquele ano, perdida por 2 a 1 para o time sub-19 do RB Salzburg.

Primeiro gol de João Félix vs Real Madrid pela semifinal da UEFA Youth League 16/17
Doblete de João Félix vs Real Madrid pela semifinal da UEFA Youth League 16/17

Na temporada seguinte, em 2017/18, participou de seis jogos a mais que no ano anterior pelo Benfica B e anotou o dobro de gols (19J e 6G, respectivamente), além de ter se sagrado campeão com a equipe juniores (sub-19), time esse que contava com atletas de destaque atualmente, como Gedson Fernandes, Florentino Luís e Jota.

Primeiro gol de João Félix a serviço do Benfica (principal), num clássico diante do Sporting

Com a troca no comando técnico do Benfica de Rui Vitória por Bruno Lage, João Félix passou a ser titular indiscutível. Tendo participado de 30 jogos e anotado 17 gols, além de ter concedido 6 assistências para gols na temporada inteira. Marcou em dois dos quatro clássicos da Primeira Liga, cruciais para a conquista do Campeonato Português daquele ano. Tornou-se ainda o atleta mais jovem de todos os tempos a anotar um hat trick (e gerar uma assist.) na UEFA Europa League (19 anos e 152 dias), com os três gols diante do Eintracht Frankfurt, superando os recordes de figuras como Harry Kane, Romelu Lukaku, Marco Pjaca ou Paco Alcácer.

Gol de João Félix diante do FC Porto, de Iker Casillas

Após seis meses que beiram a perfeição, João foi convocado a Seleção Portuguesa principal que disputou a final da Nations League, onde foi campeão ao lado do ídolo português, Cristiano Ronaldo. Devido a excelente temporada feita, o “quebra recordes” chamou a atenção dos maiores clubes do mundo e foi vendido ao Atlético de Madrid por 126 milhões de euros, para se tornar o português mais caro de sempre e também o quarto mais caro a nível mundial, atrás de Neymar, Philippe Coutinho e Mbappé.

Segundo um dos diretores do Tuttosport, Federico Vincenzoni, o valor dos últimos 3 vencedores do prêmio Golden Boy (Mbappé, de Ligt e João Félix) somados está próximo dos 500 milhões de euros.

Pelo Atlético de Madrid o “miúdo maravilha” já soma 13 partidas disputadas, 3 gols e uma assistência pela La Liga e Champions League somadas. Além de ter anotado um tento e concedido dois passes para gols na goleada por 7 a 3 sobre o Real Madrid no início do ano, em um campeonato amistoso disputado nos Estados Unidos. Devido ao estilo de jogo do time espanhol ser completamente diferente do que o português viveu em seu país com o Benfica, João poderia sentir dificuldades para se adaptar ao time colchonero, mas não é isso que parece ter acontecido.

Avançado de muita capacidade técnica e movimentação, com ótimo poder de finalização (também a média e longa distância), bom cabeceador, capacidade associativa, velocidade e agilidade com a bola nos pés, João Félix tem tudo para se manter no topo durante os muitos anos que o jovem atleta ainda tem pela frente.

Abaixo, a lista dos 18 mais votados ao prêmio Golden Boy 2019:

1. JOÃO FÉLIX, Atleti, 332 votos | 2. SANCHO, Borussia Dortmund, 175 | 3. HAVERTZ, Bayer Leverkusen, 75 | 4. HALAND, Salzburg, 74 | 5. DE LIGT, Juventus, 71 | 6. FATI, Barcelona, 49 | 7. FODEN, Manchester City, 46 | 8. DONNARUMMA, Milan, 37 | 9. ZANIOLO, Roma, 36 | 10. MALEN, PSV, 35 | 11. MOUNT, Chelsea, 29 | 12. RODRYGO, Real Madrid, 20 | 13. VÍNICÍUS Jr., Real Madrid, 13 | 14. KEAN, Everton, 13 | 15. LUNIN, Valladolid, 11 | 16. JOVELJIC, Eintracht Frankfurt, 9 | 17. GUENDOUZI, Arsenal, 9 | 18. DAVIES, Bayern Munique, 1

Comente aqui se você acredita que João Félix tem capacidade e potencial o suficiente para ultrapassar Cristiano Ronaldo – em termos de títulos, qualidade do futebol apresentado e idolatria – em Portugal e no Mundo.

0 comentário em “Golden Boy 2019 – Conheça um pouco sobre a história de João Félix, o vencedor da premiação desse ano

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: