Home & News Scout PFTF

Scout PFTF – Héctor Martínez

Nome: Héctor David Martínez

Idade: 21 (21/01/1998)

Altura e Peso: 1,81m e 70kg

Melhor pé: Esquerdo

Naturalidade: Buenos Aires, Argentina

Nacionalidade: Argentina

Posição: Zagueiro / Lateral esquerdo

Clube atual: Defensa y Justicia

Clube pertencente: River Plate

Com o contrato vigente até junho de 2021 com o River Plate, da Argentina, El Negro, como é chamado em seu país natal, foi figura importante (ao menos no elenco juvenil/reserva) do clube Millonario, chegando, inclusive, a ser o capitão da categoria durante a sua passagem pelas divisões inferiores.

O defensor canhoto chegou ao clube da capital ainda em 2008, há nada menos do que 12 anos, quando era apenas uma criança no auge dos seus 9 anos de idade. Pelo River ele chegou a atuar em apenas uma partida, obviamente, a de estreia diante do Gimnasia La Plata, em dezembro de 2018.

Resultado de imagem para héctor david martínez
Héctor (C) em campo pelos reservas do River Plate

Pela equipe reserva, semelhante a terceira divisão do país, Martínez empilhou 55 partidas oficiais e anotou 5 gols com a camisa do Más Grande. Durante o seu tempo de capitania, Héctor teve parceiros bastante conhecidos atualmente, como Exequiel Palacios (21), recentemente vendido para o Bayer Leverkusen e Gonzalo Montiel (19), lateral titular do time principal.

Em se tratando da seleção de seu país, ele foi convocado em 2015 para a Seleção Argentina Sub-17 em duas oportunidades, a primeira foi na campanha do vice-campeonato argentino no torneio Sul-Americano Sub-17 ao realizar 5 partidas mesclando entre a zaga e a lateral, e a segunda na péssima campanha dos hermanos na Copa do Mundo da modalidade, quando os selecionáveis sequer pontuaram no Grupo C, diante do México, Alemanha e Austrália – Martínez atuou apenas diante da Austrália, como lateral esquerdo.

Análise

Versátil, técnico e um líder tanto dentro quanto fora de campo, Héctor vem de um recente passado em um dos maiores clubes da Argentina para a titularidade (indiscutível) no Defensa y Justicia, vice-campeão da Superliga da temporada anterior. A sua baixa estatura, levando em conta a posição de zagueiro que ocupa no Halcón, não interfere para que ele exerça os seus movimentos de maneira sublime e com bastante destreza principalmente em posse da bola. El Negro é o jogador sub-23 melhor ranqueado e o vice-líder do time em duelos defensivos disputados, sendo 141 no total e que contabilizam 4 a menos que o seu companheiro de time Julio González, o líder no quesito. Em média, Martínez efetua 9.81 duelos defensivos por partida, com 70,21% de êxito.

Jogador de ótima leitura e tempo de jogo, é ele o sub-23 com mais interceptações no campeonato (116, sendo 8.07 a cada 90 minutos), com 18 a mais que o segundo colocado em questão, além de ser o terceiro defensor (sub-23) com a maior quantidade de duelos aéreos disputados (82, 5.71 por partida) e o quinto com a maior porcentagem de êxito (60,98%). A sua qualidade com e sem a bola nos pés é bastante evidente e diz muito sobre alguém que pode fazer no mínimo duas funções distintas em campo, tal como a sua impulsão e posicionamento tanto dentro quanto fora da área.

Excelente passador, do tipo que entende e conhece bem como a bola deve ser tratada, Martínez é o segundo defensor abaixo dos 23 anos (e o quarto no ranque geral) que mais passa a bola na Superliga, com 788 passes dados, cuja média é de 54.85 por partida e a porcentagem de acerto é de 82,74%. Com liberdade para efetuar movimentos mais ofensivos, onde outros companheiros permitem as subidas de El Negro, ele pode acionar os homens da frente – são 15 passes progressivos dados, 132 passes longos, (51% de êxito) e 140 passes para o terço final do campo, o terceiro maior no quesito, com uma porcentagem de acerto de 70,71% – e até mesmo quebrar linhas de marcação adversária através de um movimento semelhante – é o único zagueiro do campeonato com 2 passes decisivos e 8 inteligentes.

Passe chave do camisa 21 do Defensa y Justicia frente ao Arsenal de Sarandí

A sua qualidade é tanta que Martínez consegue se deslocar em posse do esférico como se fosse um volante construtor ou um meio-campista que rege o jogo, mas a verdade é que ele é um pouco disso, porém mais jogando em posições mais recuadas. Como se não bastasse, o zagueiro canhoto é o quinto atleta de todo o campeonato a efetuar mais progressões com a bola (5.64) por minuto e o sexto cuja métrica são passes, além de realizar 1.04 corridas por jogo, ao longo das 14 partidas disputadas na Série A de seu país.

Golaço (o único) de Martínez com a camisa do vice-campeão da Superliga 2018/19

Jogando entre o corredor central e lateral esquerdo, Martínez agrega e muito em uma saída de bola segura e de qualidade. Quando em posse da bola no campo do adversário, a primeira linha de defesa do seu time tende a subir de modo que Héctor possa lançar cruzamentos à área, gerar assistências para remates e claro, ser mais uma opção de valor e com capacidade para tomar decisões corretas mais acima e buscando sempre um jogo mais vertical.

Passe vertical: especialidade do zagueiro argentino

A sua facilidade em atuar pelo lado do campo lhe transforma em uma válvula de escape, independente da posição ocupada no relvado enquanto a partida é disputada. Associado à sua qualidade em defender com muita soberania e oferecer apoios e passes verticais com tanta polidez quanto, esses argumentos tendem a elevar não só o nível do seu futebol mas também o de todo o time ao seu redor.

Assistência para o quase golo de empate do DyJ

Conclusão

É cada vez mais raro encontrarmos atletas que possuem uma ou mais características tão abaixo qualitativamente daqueles que são considerados os melhores argumentos do seu próprio futebol. Por exemplo: os (antigos) volantes “brucutus”, que tinham habilidade para roubar a bola como poucos, mas que sequer conseguiam completar passes de poucos metros. De maneira oposta ao passado recente, tem sido comum identificarmos jogadores que possuem diversas qualidades complementares ao seu jogo, e que constituem um futebol ainda mais completo e competitivo.

Não obstante disso, chama a atenção o futebol praticado por Héctor e a sua semelhança com outro baixinho de sobrenome Martínez, nesse caso, Lisandro, atualmente zagueiro/volante do Ajax e que também atuava no Defensa y Justicia. Lisandro é três centímetros menor do que Héctor, e tem um futebol gigantesco, mesmo jogando na primeira linha de defesa, sempre foi muito rápido, inteligente, com ótima impulsão e leitura de jogo, além, claro, de ser um passador um tanto quanto eficiente. Essas características te lembram alguém?

Martínez tende a se tornar cada vez mais um jogador desse quilate, com o Player For The Future de hoje se mostrando cada vez mais maduro no papel que possui em seu clube atual e demonstrando não um, mas diversos motivos para quais o Defensa y Justicia poderia buscar meios de viabilizar a sua estadia de maneira permanente no time, visto que em seu contrato de empréstimo vigente até o mês de junho desse ano, existe uma cláusula de compra no valor de 2 milhões de dólares.

O Santos, por outro lado, após a saída de Gustavo Henrique e o consequente desfalque na posição pensando em termos de elenco, seria uma boa aposta para elevar ainda mais o patamar do jogador. Com o novo técnico português, Jesualdo Ferreira, o time da Baixada tende a realizar um jogo com construções curtas e apoiadas – características que podem privilegiar e muito o futebol do argentino -, além ensiná-lo a trabalhar pressionando o adversário desde o campo rival e aproximá-lo de um melhor entendimento do futebol praticado em Portugal e também na Europa de modo geral. Visto que esse pode vir a ser o caminho natural da carreira do camisa 21.

O Atlético-MG também seria um destino um tanto quanto viável para El Negro, tanto em se tratando das opções disponíveis para Rafael Dudamel, quanto para a profundidade do elenco em si. Um jogador de boa velocidade como é o caso do zagueiro/lateral esquerdo argentino, que possui excelente tempo de bola, capacidade acima da média nos desarmes e também nos passes seria uma mais-valia ao treinador venezuelano e também ao time de modo geral. Lançamentos longos e passes verticais em busca de pontas velocistas e um 9 bom de apoio – tal como gosta o novo professor -, visando chegar com poucos passes à área adversária, poderia ter em Martínez o caminho por onde passa o projeto atleticano.

Novo e com boa possibilidade de valorização, o sucesso de Héctor no Peixe, no Galo ou em qualquer outro clube brasileiro poderia render tanto em campo quanto nos cofres desses. O cenário desesperador do esporte brasileiro, ou melhor, do futebol, faz com que cada vez mais dirigentes invistam em jovens atletas visando um retorno no curto prazo para diminuir as dívidas e/ou ajudar na construção de melhores times. E de fato, quem apostar tem grandes chances de sair ganhando.

Comente aqui se você acredita que o zagueiro Martínez poderia cair como uma luva no seu time e o porquê você acredita nisso.

*Foto por “La Nación”.

0 comentário em “Scout PFTF – Héctor Martínez

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: