Home & News Scout PFTF

Scout PFTF – Iván Franco

Nome: Iván René Franco Díaz

Idade: 19 (16/04/2000)

Altura e Peso: 1,70m e 62kg

Melhor pé: Direito

Naturalidade: Ybycuí, Paraguai

Nacionalidade: Paraguaia

Posição: Meia-ofensivo, ponta-direita e esquerda

Clube atual: Club Libertad

Via: Libertad / Reprodução

Descoberto em meio a participação no torneio Fútbol Dreams – projeto abrangente sem fins lucrativos que engloba mais de 10 países e que tem como objetivo revelar e potencializar as promessas futebolísticas (ainda crianças) -, Iván tem bastante apego com a bola e desde os seis anos de idade já praticava em casa ao fazer mais de 200 embaixadinhas e sonhava atuar por um grande clube situado em Assunção, capital do país, segundo conta o pai, René Franco.

A quase 130 quilômetros da capital, Iván saiu de Ybycuí para tentar a sorte em um dos maiores clubes paraguaios, o Libertad, e foi nas categorias de base do Gumarelo que o cabeludo camisa 10 se formou e tem chamado a atenção dos mais variados clubes do país e do mundo em torno do seu futebol e do seu enorme potencial.

O sonho foi conquistado, e a menos de um mês de completar duas décadas de idade, ele é hoje, uma das maiores promessas albirrojas.

Análise

Iván cresceu e se concebeu no próprio Libertad, terceiro clube mais vezes campeão do Paraguai, por onde só foi estrear em 2018 antes mesmo de completar a maioridade. Por lá, Franco já soma mais de 6.000 minutos em campo, 85 partidas disputadas, 20 gols e 10 assistências – lembrando que, ele possui apenas 19 anos. Bastante versátil, o mediapunta paraguaio consegue atuar tanto como um camisa 10 mais centralizado e que aparece (muito) na hora de finalizar as jogadas, quanto como ponta, cujo flanco a ser jogado pouco interfere no resultado final do seu futebol.

Mediapunta: também chamado de meia-ofensivo ou meio criativo, ele é o meio-campo mais avançado e está localizado atrás dos atacantes; sua função é coordenar o ataque do time, dar o último passe para os atacantes ou aproveitar os buracos livres deixados pela defesa rival.

Wikipedia
Mapa de finalizações – Rosa: gol | Azul: no alvo | X: para fora

Com um instinto finalizador raramente visto, Iván se destaca não só pela sua velocidade, capacidade dribladora e habilidade com a bola nos pés, mas pela sua qualidade na hora de finalizar, o que, consequentemente, é bastante considerável levando em conta a quantidade de tentos anotados. Em 2019, ele foi o vice-artilheiro do Libertad com 11 gols marcados, apenas 2 a menos que Antonio Bareiro, seu companheiro de time. Não bastasse o feito, ele foi o sub-23 com mais contribuições para gols no campeonato, com 17 no total – seu xG fora 7.71 e seu xA 6.99 – logo, produziu bem mais do que as estatísticas previam, especialmente em gols feitos. A verdade é uma só: o antigo camisa 19 tem um faro ofensivo primoroso e anota gols de todo jeito:

Gol da vitória frente ao Sol de América aos 91′
O sexto gol de Iván em 2019 no Camp. Paraguaio – pegando um cruzamento de primeira em um lindo voleio

Muito técnico, Iván foi o segundo atleta sub-23 a praticar mais dribles no geral, com 224 lances tentados, ele possui uma média de 6.74 dribles por partida e uma taxa de acerto que beira os 50%. Tal habilidade é acompanhada de perto e, muitas vezes de maneira desproporcional, muito por isso, o camisa 10 dos Repollos foi o 5º jogador mais caçado em campo e primeiro quando se olha para o próprio elenco. Ao todo, foram 80 faltas sofridas, cuja média foi de 2.41 por partida.

Posicionamento médio do (ex) camisa 19 na temporada passada.

Fã confesso de Neymar Jr. e Lionel Messi, ele é capaz de conduzir – tal como seus ídolos – com bastante ímpeto e a polidez necessária que lhe permitem manter a bola próximo aos pés. René foi o terceiro atleta a realizar mais corridas seguidas em campo, com 96 progressões no total e 2.89 a cada 90 minutos. Movimento que lhe é característico, por sinal, dada a sua fácil movimentação e participação em diferentes setores do ataque, seja pelos lados ou mais centralizado.

Foram de seus pés que 18 passes decisivos foram dados ao longo das 37 partidas por ele disputadas – 0.54 por jogo -, o segundo maior criador do time com 3 passes a menos que o líder no quesito, além de 59 passes inteligentes – o segundo no ranking geral e o primeiro do Libertad – cuja eficácia foi de 57,63% (a maior do torneio). Dono de um ótimo controle da bola, seja ela parada ou em movimento, com habilidade e técnica para poder conduzir e driblar quando for necessário e se desfazer dos momentos de pressão impostos pelos adversários – dos 15.25 duelos ofensivos disputados por partida (média), ele venceu 5.68 deles -, e que conta com uma fineza em seu remate – foram 1.2 remates/90mins. com 45% de precisão – que apenas os bons finalizadores podem se vangloriar de possuir.

Como dito anteriormente, os seus momentos de criação e finalização ocorrem com bastante frequência, especialmente em relação ao último toque, ou melhor, ao último movimento que definirá o gol. Iván foi, disparado, o primeiro atleta alvinegro a receber mais passes em profundidade – 77 no total e 2.32 por 90mins. –, demonstrando extrema vocação para progredir e atacar espaços visando uma maior ofensividade pessoal e coletiva, além claro, de gerar mais opções de passe e de desafogo para a própria equipe.

Por fim, como todo ponta moderno, cabe aos extremos realizarem movimentos defensivos visando a não sobrecarga dos homens de defesa do time. Fundamental também em momentos de transição defensiva, Iván coleciona 4.93 recuperações a cada 90 minutos, sendo que, 60% ou 2.95 dessas recuperações foram realizadas no meio-campo do próprio adversário. Brutal. Apesar de sua estatura não ser das maiores, o seu instinto batalhador lhe permite (junto da sua boa impulsão) disputar 3.28 duelos aéreos e 6.56 duelos defensivos por partida, cujas taxas de êxito chegam a 39,4% e 53,7%, respectivamente.

Jogador que procura o embate, conectado nos momentos de 1vs1 e que possui argumentos e atributos ofensivos para tal: inteligente, ágil, habilidoso e veloz. Com a sua capacidade criativa e de finalização, Iván Franco tende a ser um complemento de si mesmo, podendo ser ele o gerador do último passe como também o dono do remate indefensável. Estar inserido em um contexto cuja qualidade do futebol praticado é certamente inferior em relação aos grandes centros – do próprio continente – lhe permitiram enorme projeção, que logo menos será posta a prova.

Conclusão

Iván estendeu no último dia 18 o seu vínculo junto ao Gumarelo, cujo contrato vigorará até o ano de 2025. Tal renovação é um alívio (ao menos por enquanto) a toda torcida e dirigentes do clube, que terão maior segurança numa eventual investida de clubes estrangeiros. Ainda em 2019, o Borussia Dortmund e o Paris Saint-Germain sondaram o atleta, mas sem nada concreto até então.

Palmeiras

E se o craque do time tivesse alguém para substituí-lo ou até mesmo atuar ao seu lado com um futebol de características semelhantes? Eles seriam complementares ou antagônicos? Certamente que estamos nos referindo ao Dudu, um dos melhores jogadores do futebol brasileiro (já há algum tempo). Em um time que conta com tantos bons jogadores desde a base até os experientes com rodagem europeia, um encaixe nos 11 titular seria algo impensável em um momento como esse, porém, Iván poderia ser o reserva de luxo de dois jogadores em especial: Dudu e Willian Bigode.

Por ser um jogador mais incisivo, Rony – grande contratação de 2020 – tem lugar cativo no time, entretanto, visando uma maior rotatividade dos homens de frente e também uma flexibilização tática com o camisa 7 palmeirense assumindo até mesmo o posto de falso 9 (papel feito por Luiz Adriano), é possível enxergar o paraguaio jogando atrás do centroavante ou até mesmo pelo lado direito de ataque, dada a idade do Willian (33), apesar de continuar demonstrando um futebol inversamente proporcional a opinião pública: o camisa 29 é, sem dúvidas, um dos jogadores mais subestimados do futebol brasileiro.

O ponto negativo em um eventual movimento junto ao Porco seria, evidentemente, a possível falta de minutos em campo que Franco possa vir a ter, algo extremamente prejudicial ao seu futebol que conta com passagens pelas seleções de base paraguaias e também na principal.

Comente aqui qual movimento você acredita ser o melhor para o camisa 10 paraguaio nesse momento: uma transferência para o Palmeiras, outro clube brasileiro/estrangeiro ou até mesmo se manter no Libertad por mais tempo.

0 comentário em “Scout PFTF – Iván Franco

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: