Artigos Home & News In Youth We Trust

Patrick de Paula e o sucesso

Nascido e criado no Rio de Janeiro, Patrick de Paula foi descoberto por um olheiro palmeirense apenas em 2017, quando estava prestes a completar a maioridade e disputava a Taça das Favelas. Ele fazia parte de um projeto chamado Cara Virada, localizado na comunidade de Santa Margarida, zona oeste do Rio de Janeiro, e foi através desse projeto e da sua visibilidade que o Pelezinho – apelido dado pela sua habilidade e propensão a chamar o jogo para si – chegou ao Porco.

Coincidentemente, o centroavante Deyverson ex-Palmeiras também foi criado na comunidade de Santa Margarida e fez parte do projeto AESCM – Associação Esportiva Social e Cultural Mamaô, cujo pai fora um dos fundadores e chegou a ser membro da comissão técnica da equipe sub-15 que contou com o próprio Patrick no elenco, quando ele ainda atuava como lateral-esquerdo.

Apesar de não ser um movimento recorrente para os grandes clubes do Brasil e do mundo, captar jogadores cuja idade está acima dos padrões do futebol pode representar um tiro no pé para o futuro do atleta, especialmente no caso do jogador não receber a orientação correta e não possuir a qualidade necessária para permanecer no novo contexto ao qual foi inserido.

O movimento errôneo não não foi o caso dos clubes e nem de Jonas (ex-Benfica), Borges (ex-São Paulo), Grafite (ex-Wolfsburg), Kléber Pereira (ex-Atlético Paranaense), Liédson (ex-Sporting Lisboa), Leandro Damião (ex-Internacional), Gabriel (ex-Vitória) e outros que “começaram” após os 18 anos – Liédson começou aos 23 (!) -, e de certo, Patrick não demonstra ser um erro, mas sim, um belo de um acerto e que aparenta ter um futuro tão grande quanto o seu futebol.

Afinal de contas, o que é o (seu) sucesso?

Segundo o dicionário, sucesso é “aquilo que sucede; acontecimento, fato, ocorrência” e “qualquer resultado de um negócio, de um empreendimento”. Na verdade, sabemos que mais do que isso, sucesso é algo um tanto quanto subjetivo e difícil de ser mensurado. Para muitos não, mas para o PFTF sim: Patrick é um sucesso, a sua vida é um sucesso, e a sua qualidade valida exatamente a sua grandeza e que, diferentemente de muitos, ele não “está lá” por acaso. Muito mais amplo do que o futebol, estamos falando da sua vida como um todo.

Polivalente, Patrick de Paula celebra oportunidade no time ...
Patrick pelo time sub-20 do Palmeiras: capitão e referência. Via Palmeiras/Reprodução

Patrick deu altos vôos já nos times sub-20, seu primeiro nível no clube e onde era capitão e o cobrador de faltas e pênaltis da equipe, que contava com jogadores como Gabriel Veron, Gabriel Menino e Wesley, também integrados ao elenco principal em 2020. Por lá, Patrick foi cinco vezes campeão e leva consigo títulos e importantíssimos gols conferidos antes mesmo de pisar no gramado ao lado do elenco profissional. São, ao todo, 1x Brasileirão (2018), 1x Copa do Brasil (2019), 2x Campeonatos Paulistas (2018 e 2019) e 1x Copa do Rio Grande do Sul (2018).

Golaço de Patrick de Paula que classificou o Palmeiras à final do Brasileirão Sub-20 de 2019

Volante de muita técnica e visão de jogo, Patrick tem atributos físicos, técnicos e mentais notáveis, tal como manda a posição em que atua. Jogador de passadas largas, o camisa 5 do Porco nos remete a grandes volantes da geração passada, como foi o caso de Patrick Vieira, multicampeão pelo Arsenal e campeão da Copa do Mundo com a Seleção da França.

Com uma perna esquerda afiada, Patrick de Paula tem poderio e capacidade de sobra para passar, lançar e rematar com qualidade. Uma de suas especialidades é a bola parada, nem sempre utilizada no time principal devido ao alto nível competitivo e qualidade dos cobradores oficiais do primeiro time. O seu gol diante do Cruzeiro pela final da Copa do Brasil Sub-20 de 2019, vencida pelo alviverde paulista, foi uma pintura e uma prova do que estaria por vir:

Primeiro gol da finalíssima da CdB Sub-20 de 2019

A sua leitura de jogo e o seu poderio defensivo lhe permitiram chegar a marca de 9.33 duelos defensivos disputados por partida em seus 5 jogos disputados no Campeonato Paulista desse ano, cuja temporada representa o seu início no time profissional. A atuar por um time bastante móvel e ofensivo, Patrick precisa ativar pressões desde o meio-campo adversário em busca da posse, e foi lá onde ele obteve quase que 40% das suas 6.32 recuperações a cada noventa minutos.

Mapa de remates do camisa 5 no Camp. Paulista

Com um físico um tanto quanto privilegiado, as suas ingressões junto ao campo rival lhe permitem avançar diretamente até a área do adversário, sempre pelo corredor central esquerdo, podendo auferir gols (como fora pela categoria sub-20) ou, no mínimo, bons passes para o último terço do campo (10.84 por partida e 86,1% de êxito) e criar vantagens para o time de modo geral. Dos seus 6 remates projetados na competição estadual, todos foram a uma distância média/longa do gol adversário, provando o seu perfil em realizar progressões com ou sem o esférico e se posicionando a ponto de poder causar estragos à meta do arqueiro concorrente.

Progressão pelo corredor central esquerdo, passe entre três marcadores e remate perigoso: Patrick em seu estado natural
Roubada de bola, cabeça erguida e pré-assistência entre três marcadores para o 3º gol do Palmeiras pela Libertadores/20

Característica marcante em seu futebol, as suas progressões e passes verticais dizem muito a respeito do perfil a ser formado em torno da sua qualidade e das suas características. Um jogador incisivo, com enorme serventia nos momentos de destruição e de construção, ligando defesa e ataque e sendo ele o elo capaz de se oferecer tanto para iniciar quanto para finalizar as jogadas.

Um volante que reúne características tanto tradicionais quanto modernas, apto a atuar seja como um camisa 5, mais pegador e defensivo, mas que sabe (bem) como sair jogando de maneira limpa e concisa, de forma que seus passes possam pegar defesas desprevenidas, ou como um camisa 8, o chamado segundo-volante, capaz de ser uma figura onipresente na defesa e ataque, desafogando o time nos momentos de pressão e realizando avanços que levam bastante perigo e trazem serventia ao time.

Com a sua recente renovação de contrato até o ano de 2024, Luxemburgo e principalmente, o clube e a torcida palmeirense, terão um ativo de enorme valia em suas mãos. A sua qualidade é tanta que a sua presença no time titular não deverá demorar a acontecer. O garoto vem pedindo passagem e conta com o mau momento vivido por Ramires, volante titular que possui a confiança do treinador. Um acréscimo de jovialidade e sangue novo ao 11 inicial faria muito bem ao time e ao garoto, que claro, conta com alguns pontos a serem melhorados, tal como a sua capacidade de concentração e intensidade ao longo da partida.

Patrick de Paula é eleito o melhor em campo na vitória do Palmeiras
Patrick atuando pelo Campeonato Paulista de 2020. Via Palmeiras/Repordução

No fim, o que importa mesmo é se você obteve aquilo que entende como sendo o sucesso, e para alguém que já viveu tanto em tão pouco tempo de vida e de clube, resta saber se Patrick pensa de maneira semelhante a esse que vos escreve: ele é um caso concreto do que é o sucesso, o que não quer dizer que a sua vida e a vida de todos a sua volta tenha atingido o ápice, muito pelo contrário, isso é só parte do seu início e de tudo que irá lhe acontecer daqui pra frente.

Foto via: Bruno Santos/Folhapress.

0 comentário em “Patrick de Paula e o sucesso

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: